Absurdo

A vida, graças aos deslavados absurdos, pequenos  e grandes, de que se acha tranquilamente repleta, tem o inestimável privilégio de poder eximir-se daquela estupidíssima verossimilhamça, à qual a arte considera seu dever obedecer.

As absurdidades da vida nao precisam parecer verossímeis, porque são verdadeiras; ao contrário daquelas da arte, que, para parecerem verdadeiras, precisam ser verossímeis. E, então, verossímeis, nao são mais absurdidades.

by

Luigi Pirandello, in Sobre os escrupulos da fantasia

Anúncios

~ por rosana em 10/07/2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: