Recordação

http://voirouregarder.typepad.com

 

Eu bem sei

Que rodo em muitas esferas,

            E não sei

Por onde me levas, poesia.

 

Quando vou,

E não encontro ninguém,

  Tenho medo do que sei:

   Um filho de sua mãe

E seu pai,

Ou algum longínquo avô,

   A quem um poeta sai.

 

Será também o Deus da infância

E a árvore sagrada

De frutos proibidos,

Na fragrância

  Com que rasguei meus vestidos

          E não retirei os ninhos…

 

Enchi de rosas a terra

        E levo nas mãos espinhos.

 

 by

Afonso Duarte (1884-1958)

Anúncios

~ por rosana em 12/01/2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: