VI Canto

Eu caminho tao levemente e imperceptivel, que nao podes notar os fardos ,
nem os dardos que carrego.
Meu olhar sao dois passaros engaiolados, cobiçosos do azul
que olham através de ti
a exaltaçao da máquina do mundo.
Entre as frestas das estrelas, pausas de melancolia,
toda angustia é vaidade,
como nas cartas de Eclesiastes.
Tu passas ao longe, e nao me advinhas,
como uma grega coluna, imóvel , intocável,
observas minhas mágoas discretas,
nao te inclinas, mas olvidas.
Minha loucura é como a freirinha coquete,
que há pouco sorria  – talvez – da vida.
E eu que tomei por espada o riso,
choro, – talvez- pela vida.
by
Anna Montenegro
Anúncios

~ por rosana em 17/06/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: