A tua morte ( in memorian )

 

 

 

 

 

 

 

 

A tua morte é sempre nova em mim.

Não amadurece. Não tem fim.

Se ergo os olhos dum livro, de repente tu morreste.

Acordo, e tu morreste.

Sempre, cada dia, cada instante, a tua morte é nova em mim,

sempre impossível.

by
Adolfo Casais Monteiro

Anúncios

~ por rosana em 15/04/2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: